ptenfrdeites

Pilates, lançamento do Método em Portugal

Tal como uma empresa, uma marca, ou um profissional, o lançamento e implementação de um método de treino novo num país, implica uma estratégia, gestão de recursos, otimização de oportunidades e o ultrapassar os obstáculos que se vão sucedendo.

E do meu ponto de vista, paixão, dedicação, e trabalho disciplinado com foco numa visão ecológica, que integra não só os participantes diretos, mas que cria sinergia, desenvolve parcerias, e envolve também a sociedade.

O INÌCIO

A primeira formação do Método Pilates em Portugal, foi dada em 2000 pelo Pilates Institute no Holmes Place, que pretendia na altura implementar o Método na vertente de colchão no seu clube. Com 15 anos de experiência a dar aulas de grupo, tendo vindo da dança e da coreografia, fui convidada pela responsável Constance Ruiz, a integrar a formação, como externa convidada. O interesse no meu desempenho por parte do diretor da escola, Michael King, a minha experiência anterior em organização e produção de eventos, a minha visão para o desenvolvimento do Método e o sucesso nas aulas, levaram à entrevista e ao convite para trabalhar no Holmes Place.

Como Master Trainer de Pilates, com objetivos em sintonia com a minha chefia direta, delineei uma estratégia que envolvia o cumprimento das tarefas que me eram pedidas e a sugestão de caminhos de desenvolvimento do Método.

Desenvolver a qualidade dos profissionais que iriam dar as aulas

Percorri os clubes, descobrindo quais os profissionais mais interessados em aprender, tecnicamente mais competentes, e criei o interesse para se inscreverem na formação. Com muitos homens neste grupo, Portugal é neste momento o país do mundo que conheço, com mais homens a darem treinos deste método.

Estive sempre nas equipas dos primeiros clubes que abriram, para promover o interesse dos sócios no método e dar apoio e formação continua às equipas.

Desenvolver as minhas competências como formadora

Iniciei a minha formação para formadora do Método com o Pilates Institute que durou alguns anos, entre Lisboa e Londres. Esta permitiu-me começar por dar apoio e formação interna, e mais tarde dar as formações de base da escola de formação, reduzindo os custos da formação para os instrutores e clubes. Tornei-me representante da escola em Portugal e Espanha, o que permitiu fazer crescer a modalidade dentro dos clubes nestes dois países.

Divulgar a modalidade e suscitar o interesse na restante equipa dos clubes

A divulgação interna é essencial para o sucesso do método. Ter toda a equipa, desde os instrutores de outras modalidades, ao departamento de vendas, aos serviços de massagem, cabeleireiros, envolvendo todos de acordo com o que poderia ser interessante para cada setor, facilitou a divulgação aos sócios. Se as massagistas gostam das aulas, vão sugerir nas massagens a quem tem problemas de costas. Se os comerciais percebem os benefícios sabem falar com os prospects.

Divulgação nos media

Para divulgação, o Holmes Place contactou várias revistas, e eu fui dar entrevistas e escrever artigos sobre o Método. Para não esgotar o interesse no Pilates, selecionei a informação a passar a cada revista de acordo com o seu público alvo, e segmentei a informação, tendo sempre um ponto de vista novo, e novas informações em cada abordagem.

Com os contactos feitos, e tendo gostado dos artigos apresentados, foi-me também proposto por várias revistas, escrever sobre outras modalidades. Aceitei sempre, e pedi apoio aos colegas de cada área para a elaboração dos artigos. No final de cada artigo vinha a sugestão de complementar esse tipo de treino com modalidades como o Pilates ou o Yoga. Como os artigos não vinham muitas vezes assinados, para o público, toda a gente estava a falar de Pilates, e isso ajudou a criar uma tendência de mercado.

Divulgação na comunidade médica

Dadas as caraterísticas deste Método, a recomendação da classe médica não só era relevante, como fazia sentido para populações especiais, para os sedentários que iniciavam a sua atividade física, e para toda a população em geral. Fui convidada para palestrar em Congressos Médicos, e convenções de especialistas de áreas da saúde.

Com um limite de 20 pessoas por aula ou dois instrutores por aula para grupos maiores, a decisão de manter o nível das aulas de grupo para este tipo de população foi estratégica. Ficaram as aulas mais avançadas para os grupos mais pequenos privados, em que o apoio ao aluno poderia ser maior, garantindo a qualidade do serviço.

Abrir a formação para o exterior

Abrir a formação para profissionais externos, permitiu-nos maior capacidade de recrutamento à medida que os novos clubes iam abrindo. Isso também levou mais profissionais para o mercado que começaram a trabalhar noutros espaços.

Acrescentar serviços e valor

À medida que o Método se ia implementando, fomos acrescentando módulos formativos para acompanharem as ofertas de serviços aos clientes, de treino para pequenos grupos e treino individual, aumentando a rentabilidade dos clubes, o rendimento dos profissionais e proporcionando mais variedade e especificidade aos alunos.

O DESENVOLVIMENTO

Quando saí do Holmes Place para me dedicar em exclusivo à escola de formação e ao meu trabalho como formadora, comecei também a formar outros formadores que iriam permitir a expansão da escola em Portugal, e a integração de mais módulos formativos, até termos em Portugal a formação completa no Método Pilates, tal como na escola mãe.

Mais uma vez iniciamos uma tendência e demos a primeira formação para fisioterapeutas através da sua Associação, contacto de Constance Ruiz, que agora também com o seu novo projeto se tornou uma parceira. Fizemos as primeiras convenções do Método Pilates com presenters nacionais e internacionais. Lançamos novas cursos para populações especificas.

Uns anos depois, mudei e abri um estúdio para mostrar aos nossos formandos como operar no mercado, passando para lá a escola de formação. Muita coisa aconteceu, entretanto. Quando a lei mudou participei no grupo que com a AGAP defendeu a nossa classe profissional junto do Estado.

Agora como ALM Pilates, a visão continua a ser global. Dar apoio continuo aos profissionais que nos procuram para formação, e aos players do mercado. Melhorar a qualidade do serviço para quem pratica.

Muito trabalho, muita dedicação. E acima de tudo, muita paixão.