ptenfrdeites

Posso enviar-lhe um email?

Uma pergunta simples, importante, mas muitas vezes esquecida numa campanha de Email Marketing. O facto desta pergunta ter sido ignorada tantas vezes no passado e no presente faz com que uma campanha de email Marketing, apesar de ser feita com as melhores intenções, acabe por se tornar numa campanha de spam, condicionando resultados e criando uma má reputação on-line para a empresa. 

O pioneiro do SPAM foi Gary Thuerk, um marketeer da empresa Digital Equipment Systems, que em Maio de 1978 enviou um email de promoção da nova linha de produtos para dezenas de milhares de utilizadores da ARPANET. Os resultados não foram os pretendidos, pois a reação da comunidade foi negativa, tendo sido iniciada a guerra contra o SPAM. 

Como começar a sua campanha de email marketing?

Neste momento, com tantas restrições que foram criadas a esta técnica devido ao enorme número de spammers, nada é garantido, no entanto existem algumas guidelines básicas que pode utilizar para maximizar as hipóteses de sucesso da sua campanha.

Não se arme em spammer!

Evite a tentação de comprar uma base de dados com milhares de emails de pessoas com quem não tem qualquer tipo de relação. Não siga os passos de Gary Thuerk pois não vai funcionar! É provável que logo após o primeiro envio o seu servidor fique numa lista negra e que todos os emails fiquem bloqueados, inclusive aqueles que troca com fornecedores e clientes reais.

1.a. Crie uma lista autorizada

Se quer obter resultados deverá optar por permission email marketing. A regra básica é criar uma lista de emails em que o endereço foi dado e autorizado pelo destinatário.

A melhor forma de obter a permissão do utilizador é através da criação de uma proposta de valor inicial para a sua newsletter e responder a algumas questões que poderão estar na mente do seu utilizador:

  • O que eu ganho ao subscrever? Descontos? Produtos? Conteúdos premium?
  • Vai ser um spammer? Vai enviar apenas conteúdo comercial e sem interesse?
  • Vai encher-me a caixa de correio todos os dias?
  • Vou receber no futuro descontos e promoções exclusivas?
  • Vou receber conteúdo interessante e personalizado para mim?

1.b. Confirme a subscrição

É importante garantir que o servidor que aloja o email do subscritor não o bloqueie. Envie em primeiro lugar um email com um link de confirmação, para que ao clicar o servidor perceba que o remetente é autorizado. 

Também pode pedir ao seu cliente que o coloque na lista de remetentes seguros utilizando o pretexto de que é a forma mais segura de garantir que não perde todas as comunicações seguintes como prémios e promoções.

2. Seja fácil de subscrever

Entrar para a sua lista de emails deve ser fácil. Utilize todos os canais de comunicação online e offline para promover a sua newsletter. Utilize diferentes fontes como concursos, download de ebooks, etc e coloque no formulário de adesão um campo com o email. Lembre-se: explique bem as vantagens que o utilizador obtém ao subscrever a sua newsletter.

3. Escolha um parceiro especializado

O MS Outlook serve para envio de email em pequena escala. Se envia um número mais elevado de mensagens o mais provável é o seu próprio servidor recusar o envio. Utilize plataformas de Email Marketing para maximizar as hipóteses da sua mensagem ser recebida e lida. Estas plataformas especializadas também analisam o seu email do ponto de vista técnico e sugerem correções de forma a ter um bom quality score.

4. Desenhe uma estratégia

Independentemente do objetivo que pretende atingir, seja ele de retenção ou atração, tenha uma estratégia.  Quem é o seu leitor? Em que estágio do funil de vendas se encontra? Crie uma linha de comunicação com diferentes temas e objetivos. Evite a tentação de estar sempre a tentar vender produtos e serviços. O mais provável é o leitor deixar de o ler. Lembre-se sempre da promessa inicial que fez de que ao subscrever a sua newsletter o utilizador também ganha acesso a conteúdo relevante. Uma vez quebrada a confiança o mais provável é passar a ser ignorado. A consistência também é fundamental para uma estratégia bem sucedida, pelo que deverá garantir que a sua equipa consegue criar conteúdos atempadamente para a frequência pretendida.

5. Segmente a sua lista

Os seus leitores não são todos iguais, logo o seu conteúdo não é relevante para todos. Agrupe os seus subscritores em diferentes áreas de interesse, objetivos, experiência, idade, localização, etc, para que a mensagem os atinja de forma mais eficaz. Não faz sentido enviar mensagens de emagrecimento para utilizadores que têm como objetivo aumentar massa muscular… Ou faz? 

6. Construa bem a mensagem

Após obter a permissão do seu cliente tem de conseguir fazer com que ele abra o seu email. Utilize subjects apelativos e que criem espectativa no seu cliente ao ponto de este querer abrir. Não utilize subjects genéricos como “Newsletter Novembro”. Um bom exemplo de um subject é “5 alimentos para emagrecer sem esforço!”

Utilize os templates de serviços especializados para criar mensagens com um bom design. Evite a utilização de imagens, pois além de serem pesadas para os dispositivos mobile, geralmente é necessário um clique de segurança extra para o utilizador as poder ver, o que nem sempre acontece. 

Evite também a tentação de colocar demasiada informação no email. A ideia é o email servir de preparação para a conversão numa landing page acessível através de um botão call-to-action.

7. Mantenha a lista limpa

É essencial atualizar sempre a sua lista e garantir que todos os emails inválidos são removidos e que todos aqueles que não desejam estar na lista são eliminados definitivamente da mesma. Denúncias de SPAM por parte dos utilizadores podem ser devastadoras na quality score, colocando em risco campanhas futuras. 

8. Analise resultados

A cada envio analise a taxa de entrega, de abertura e de cliques nos links presentes no email. Lembre-se que o objetivo deverá ser melhorar estes 3 parâmetros a cada envio, e claro, a posterior conversão em vendas.