ptenfrdeites

Desmistificar o treino com Electroestimulação Muscular Integral EMS

Ouvimos falar cada vez mais da Electroestimulação Muscular como um novo método de treino.

Apesar da EMS ser considerada, atualmente, um novo e inovador método de treino, a electroestimulação muscular tem uma longa história e foi apenas na segunda metade do século passado que surgiram os primeiros estudos científicos relevantes, comprovando o aumento de força (cerca de 40%) em humanos através do uso de electroestimulação muscular.

O termo que sempre esteve associado à Fisioterapia e Reabilitação, seja no tratamento de lesões ou na recuperação muscular, surge agora como alternativa ou complemento ao treino convencional. Mas afinal em que consiste este novo conceito de treino?

Electromyostimulation Whole Body (EMS-WB), em português Electroestimulação Muscular Integral, consiste num treino intenso que combina: a contracção voluntária, através da realização de exercícios específicos e dinâmicos, com a contracção provocada pela electroestimulação activa dos principais grupos musculares em simultâneo.

É esta combinação que distingue a EMS-WB dos outros tipos de electroestimulação (local e passiva, por exemplo), uma vez que conciliando o exercício à electroestimulação consegue-se num treino de apenas 20 minutos trabalhar mais de 300 músculos, com 100% de activação de fibras musculares. Esta activação é conseguida através dos eléctrodos que são colocados nos principais grupos musculares, enquanto simultaneamente se realiza o treino, composto por exercícios específicos de acordo com o programa e objetivos do praticante.

Como veio a EMS revolucionar o mundo do Fitness?

Atualmente, a EMS não é apenas um método de treino para os atletas de elite. Pode encontrar-se nas principais cidades mundiais estúdios com Profissionais especializados em EMS, tornando o serviço mais próximo e acessível ao cidadão comum.

Tendo em conta que nos dias de hoje o tempo é um bem escasso e que a maior parte da população aponta como desculpa a falta de disponibilidade para a prática de exercício físico regular, o novo conceito tem tido uma ascensão exponencial e em escala mundial, tornando a EMS a nova tendência do Fitness.

O fator diferenciador e que justifica todo o mediatismo é, principalmente, a obtenção de resultados muito mais rápido do que as outras modalidades convencionais: menor número de sessões e com duração mais curtas.

Seja para atletas profissionais, amadores ou para simples praticantes de fitness é possível encontrar soluções para treino com EMS em ginásios, clubes e estúdios especializados. Os resultados variam de acordo com os programas de treino, no entanto, está cientificamente provado que é possível melhorar a força, resistência, velocidade, equilíbrio, hipertrofia muscular, redução de massa gorda, entre outros.

Fisiologicamente como funciona?

A tecnologia usada na EMS imita o princípio natural da contracção muscular, que é o resultado da interacção entre o cérebro, o sistema nervoso central e o tecido muscular.

No treino convencional, os músculos são controlados por impulsos eléctricos enviados pelo sistema nervoso central. Na EMS, os músculos reagem aos impulsos eléctricos enviados pelos eléctrodos. Na verdade, a EMS não estimula directamente o músculo, mas indirectamente através das estruturas neurais, uma vez que as membranas dos axones são mais sensíveis do que a membrana das fibras musculares. Desta forma, o músculo não sabe se o estímulo é externo, ou enviado pelo cérebro, reagindo sempre da mesma forma: com contracção muscular.

É um treino Seguro?

É totalmente seguro.

Os impulsos de baixa frequência usados no treino com EMS estimulam unicamente os nervos e os músculos da musculatura esquelética estriada. Além disso, o estímulo é personalizado de forma a garantir um ajuste adequado às características individuais do praticante. A sensação da electroestimulação deverá ser a mesma de uma contracção muscular em esforço.

Logicamente que, quando se fala em segurança, é obrigatório realçar que todos os treinos deverão ser ministrados por um profissional especializado no treino com EMS, garantindo a segurança do praticante sempre em primeiro plano.

Porquê treinos de apenas 20 minutos por semana?

O treino com EMS engloba mais de 300 músculos, ou seja, o equivalente a 90% dos músculos são trabalhados em simultâneo, incluindo agonistas e antagonistas. Para além disso, as contracções musculares são de melhor qualidade já que o trabalho é mais intenso e mais profundo, pois activa também uma maior quantidade de fibras musculares.

Considerando que se trata de um treino que leva a um aumento significativo do metabolismo, uma vez que são exercitados um grande volume de músculos em simultâneo, considerando ainda, a intensidade, o gasto calórico (durante e após o exercício) e a eficiência do treino, os treinos de 20 minutos com EMS podem ser equiparados a aproximadamente 3 treinos convencionais. Pelo que, após vários estudos científicos apurou-se que 20 minutos são o tempo ideal para levar a um melhor equilíbrio e resultado.

Por outro lado, e tendo como base o referido acima, é importante realçar que o tempo de repouso entre sessões de treino deverá de ser de 7 dias para todos os iniciantes no treino com EMS, incluindo atletas ou indivíduos altamente treinados.

Quem pode treinar com EMS?

Está cientificamente provado que o treino com EMS pode ser eficaz para pessoas de diferentes faixas etárias e níveis de aptidão física e não apenas para atletas. Aliás, como se trata de um treino sem cargas externas e sem impacto articular, não sobrecarrega as articulações permitindo trabalhar os músculos de uma parte do corpo lesada de forma eficiente, podendo ser praticado inclusive por pessoas com patologias e limitações articulares e/ou musculares como hérnicas discais, próteses das ancas, recuperação de operações, etc.

Que tipo de Resultados se pode conseguir?

Estudos científicos comprovam que dependendo do seu programa de treino e dos objectivos de cada um, pode-se alcançar os seguintes resultados: aumento da força, resistência e velocidade, diminuição da massa gorda e celulite, hipertrofia e tonificação muscular, redução de dores de costas, diminuição e desaparecimento de incontinência urinária, entre outros.